segunda-feira, 29 de março de 2010

(Bonsai do Leitor)


Olá a todos,

hoje quem nos presenteia com um lindo Bonsai é o Alessandro Souza de Limeira/SP.

Ele está participando do Bonsai do Leitor com essa linda Chamaecyparis psifera, popularmente chamada de tuia-europa, tuia azul ou tuia macarrão.
Este Bonsai está com 15 anos e pela foto muito bem cuidado.




Obrigado Alessandro e continue mandando mais fotos.
E você que também quer participar deste quadro é simples. Basta enviar um email para bonsaistas@gmail.com com seu nome, cidade, espécie e idade do seu bonsai. E claro não se esqueça de enviar a foto do seu Bonsai.



sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Dúvida do Leitor - Bonsai de Pinheiro

Olá a todos.

É sempre um prazer ajudar os nossos leitores com dúvidas. Confesso não possuir formação na área, mas há um bom tempo pratico a arte de Bonsais e me esforço para responder todas as perguntas. E deixo aberto também este espaço para todos opinarem.

Hoje vamos responder as dúvidas do Leandro Otávio. Ele nos fez a seguinte pergunta:
Quero sabe qual a espécie do meu pinheiro, e os cuidados com ele?

Bem Leandro, ficamos no aguardo das fotos para lhe fornecer a espécie correta do seu pinheiro. Com relação aos cuidado,s vão aí algumas dicas:

  • As coníferas, tambem como são chamados os pinheiros, devem ser colocadas ao ar livre.
  • Geralmente, se adaptam melhor a climas secos e frios, o que é um pouco difícil aqui no Brasil.
  • Essas espécies possuem um fungo denominado mycorrhizas que convivem em harmonia com suas raízes, por isso, adubação orgânica é muito indicada.
  • Não gostam do solo muito encharcado.
  • Devem ser trocadas de vasos em um período de dois a cinco anos, sempre fazendo a poda das raízes.
  • Obedecendo a regra geral dos bonsais, a sua poda deve ser feita no inverno, momento em que as coníferas diminuem suas atividades de crescimento.
Por hoje é só pessoal. Espero que tenham gostado das dicas e fica aberto nossos canais de comunicação. Você pode nos enviar uma mensagem através no nosso formulário de contato, também no twitter e orkut. Assine nosso canal no Lembreto e recebe dicas e notícias direto no seu celular. Envie um SMS para 49523 com o texto ASSINAR BONSAI ou clique aqui.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

(Bonsai do Dia) Tangerina (Mexerica)

Achamos hoje um bonsai de Tangerina(em alguns lugares mexerica).

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Cuidados especiais com os Bonsais de Romã

A Romã é um arbusto que alcança até sete metros de altura, originária de toda costa do mediterrâneo e Ásia ocidental e oriental. Sua floração intensa e sua produção de frutos pequenos ( punica granatum “nana” ) a tornam uma das árvores mais atraentes para o cultivo como bonsai. Tradicionalmente, na passagem do ano, a romã simboliza sorte para todo o ano quando guardamos algumas de suas sementes na bolsa ou na carteira. Semi-caduco, podem perder suas folhas no inverno, floresce abundantemente no início da primavera com exuberante coloração vermelha. Seu crescimento é extremamente rápido e as condições de seu cultivo são muito favoráveis.

Qualquer bonsai deve receber sol diretamente em suas folhas. A Romã gosta muito de luz, mas não deve ser exposto ao sol forte no verão. No verão necessita de um local bem iluminado, devemos colocá-la em local onde a mesma possa receber raios solares diretamente em suas folhas em períodos onde o sol não esteja muito forte (antes das 10:00Hs e depois das 16:00Hs). Isso pode ser conseguido colocando-a em uma sacada com cobertura, sob outras árvores ou mesmo dentro de casa próxima a uma janela em local arejado. Já em outras estações a Romã pode ser colocado a pleno sol desde que seu solo esteja sempre úmido. A exposição da Romã ao sol é indispensável para sua floração e a frutificação.

Há duas coisas que precisamos saber para regar um bonsai: Como e com que frequencia.
Regar um bonsai é molhar toda a terra que esta dentro do vaso. Coloque água potável por cima da terra em toda a superfície até que esta comece a sair por baixo nos orifícios do vaso.

No Calor pode-se molhar também a copa e Galhos.
Já a frequencia dependerá principalmente do tamanho do vaso e das condições climáticas como temperatura e umidade do ar. Normalmente vasos com até 30 cm de comprimento e/ou vasos muito rasos devem ser regados todos
os dias quando a umidade do ar estiver baixa e a temperatura acima de 20oC.
Cuidado com os extremos: Em dias de muito calor (acima de
30oC) regue duas vezes ao dia. Em dias de muito frio (abaixo de 15oC) regue a cada dois dias.
Vasos maiores do que 30 cm, normalmente a frequencia de rega é menor, mas tome muito cuidado, geralmente um bonsai não fica mais do que dois dias sem água.
As árvores no Geral NÃO gostam de muita umidade na terra. Por isso geralmente devemos regar os bonsai somente quando a terra do vaso estiver quase seca.
Vale muito nossa "observação constante", tanto do clima quanto da umidade da terra. A verificação da umidade da terra pode ser feita facilmente tocando-se a terra com os dedos.
A Vaporização das folhas somente é necessária quando a umidade do ar estiver baixa. Nesta situação é conveniente que façamos uma vaporização leve somente sobre as folhas preferivelmente a sombra com água potável, no mínimo, três vezes por dia. Outra função importante da Vaporização é quando feita sobre as raízes finas expostas em alguns determinados estilos ( Ex.: "Raiz Exposta", "Raiz sobre Pedra" e outros). Também é importante no cultivo do musgo que, se for usado, não deve ocupar mais do que a metade da superfície da terra do bonsai, para que esta "respire". O Musgo deve ser borrifado levemente em torno de três vezes ao dia sem que a terra do bonsai se umedeça.

Como a maioria das plantas frutíferas, a Romã é uma planta com consumo elevado de água, mas com a particularidade de não gostar de solos muito encharcados. Umidade constante no tronco e raízes favorece o surgimento de fungos ( Pó Branco ), estes podem até ocasionar sua morte se não forem tratados. NO geral, em épocas de calor a Romã pode ser regada todos os dias, mas para evitar problemas com muita umidade no inverno é aconselhável molhar a terra da Romã somente quando esta já estiver com a superfície seca. Para uma produção intensa de frutos é aconselhável regar com ponderação quando em flor e regar em excesso quando estiver com fruto.

Todos nós comemos diariamente, os alimentos são imprescindíveis para se viver. As plantas alimentam-se dos sais nutritivos que extraem do solo. Como os bonsai vivem em vasos pequenos, a árvore poderá consumir todos os nutrientes da terra depois de um tempo, teremos então que ir repondo estes nutrientes por meio de adubos. É preciso adubar principalmente nas épocas de grande crescimento das plantas e esta adubação deve ser feita sem exageros. É muito melhor adubar em pequenas quantidades com maior freqüência do que fazê-lo esporadicamente em grandes quantidades. Recomendamos o uso de produtos de ótima procedência e com instruções claras de uso.

Para principiantes sugerimos uma adubação muito simples usando TORTA DE MAMONA e FARINHA DE OSSO, que são facilmente encontrados em supermercados. Estes podem ser usados sempre separadamente numa frequencia bimestral, ou seja, se usar TORTA DE MAMONA em Janeiro, somente irei adubar novamente em março com FARINHA DE OSSO. E assim teremos 6 aplicações anuais.

Use sempre as dosagens recomendadas. Caso não haja indicação para dosagens referente ao bonsai, use metade da dose recomendada para vasos pequenos.
Já uma adubação melhor e mais balanceada pode ser conseguida facilmente com produtos de boa qualidade encontrados em lojas especializadas. Siga sempre uma orientação profissional.

A adubação de outono se torna a mais importante para incentivar a Romã a produzir flores na primavera. O período para se adubar a Romã é em sua época de crescimento, ou seja, desde quando a mesma estiver iniciando a brotação na primavera até o inicio do outono. Evite adubar em períodos de floração intensa. Os adubos mais indicados são os ricos em Fósforo ( P ), podendo ser adubos líquidos por via foliar ( na primavera ) ou sólidos na terra ( no outono ). Como sugestão, escolha traços de proporção de N-P-K ( Nitrogênio – Fósforo – Potássio ) na ordem de 04-14-08. Não esqueça que no mínimo uma vez por ano é necessário a Adubação com micro nutrientes ( Ca {Cálcio}, Mg {Magnésio}, S {Enxofre}, B {Boro}, Cl, Cu, Co, Fe....). Melhores épocas para a adubação da Romã é o Início da Primavera e do Outono. Nunca adube plantas doentes ou recém transplantadas.

No desenvolvimento natural das árvores as raízes crescem em busca de água, ar e alimento. As raízes de um bonsai vão crescendo e podem ocupar a totalidade do espaço do vaso, expulsando lentamente o solo que ali existia. Por isso periodicamente devemos reduzir o volume de raiz dentro do vaso através de poda. Nesse mesmo processo aproveitamos para também trocar parte do solo que já não oferece todas as características para um bom desenvolvimento do vegetal. Felizmente este processo demora anos mas não devemos esquecê-lo enquanto estivermos cultivando qualquer planta que esteja confinada.

A Romã necessita um solo com boa drenagem. A mistura aconselhada é de 50% de areia peneirada (entre 2 a 5 mm) e 30% de condicionador de solo industrial e 20 % de argila refratária de boa procedência peneirada (entre 2 a 5 mm). Na troca de terra podar no máximo 50 % das raízes.Deve-se providenciar a troca de terra da Romã Anualmente ou a cada dois anos, normalmente no inicio da primavera quando inicia sua brotação intensa. Nunca adube plantas doentes ou recém transplantadas. Nunca lavar as raízes.


A Arte bonsai procura, como inspiração, buscar formas existentes na natureza. Essa busca nos leva a um espectro riquíssimo de texturas, formas e cores, tornando nosso hobby um dos mais interessantes e criativos. O objetivo da prática do bonsai (cultivo de arvores em vaso), não é apenas mantê-los vivos e saudáveis, mas cada vez mais bonitos. Para isso é necessário que se façam podas regulares para se manter a forma de “mini árvore”. Podar é estilizar a formação de uma árvore. Com a poda, eliminamos os ramos que saem da silueta do bonsai, ramos defeituosos, secos ou desnecessários. Para podar devemos utilizar ferramentas adequadas, como tesouras afiadas. Para galhos maiores alicates de corte côncavo, que fazem cortes limpos, precisos e de fácil cicatrização. Quando as feridas da poda são de grande tamanho (maior que o tamanho do diâmetro de um cigarro) é conveniente cobri-las com pasta de selagem para garantir sua perfeita cicatrização. Pode-se usar clara de ovo ou tinta PVA.

A poda de manutenção da Romã pode ser feita facilmente com uma tesoura afiada cortando-se os galhinhos que saem da zona não desejada do tronco ou da copa, cuja melhor forma é a forma da copa triangular. As Podas mais drásticas devem ser feitas no final do inverno. A Romã brota com facilidade na madeira velha e suporta muito bem, grassas a sua brotação intensa, podas drásticas. É muito importante a manutenção na limpeza das folhas e flores ressecadas. O corte dos brotos novos que surgirem perto das raízes ou galhos novos em competição com galhos maiores já existentes devem também ser eliminados. Podar várias vezes ao ano para manter a forma original.

A Romã é uma planta muito resistente, mas pode ocorrer ataques de fungos que podem ser tratados com a moderação na rega, retirada com uma escova e fungicida. Ataques de pulgão ou cochinilhas podem ser tratados facilmente com inseticida para plantas ornamentais.

Não esqueça que existindo um problema, este deve ser solucionado com brevidade para evitar a debilitação do bonsai.






Fonte: bonsaikai

quarta-feira, 2 de setembro de 2009